Sobre o conteúdo do meu Moleskine

Aqui tem de tudo, é um moleskine mesmo. A diferença é que ele vai no meu bolso e no seu também, pois você pode comentar à vontade.


Obrigado pela visita e um abraço!



Trabalho Noturno

Olha só a idéia: nada como uma noite de lua cheia para dar uma nova perspectiva aos velhinhos abandonados. Alguns ganharam vida! Confira.























Fotos: Lost America (Flickr)

Pianos no mar!

Isso não é uma lancha, é um piano!!! Que trabalho maravilhoso em madeira.

Eu não sei quando foi que a fibra começou a substituir a madeira. Eu acredito que traga muitas vantagens, tanto na construção quanto na sua manutenção. Acredito também que seja bem mais barato, ecológico e tal, mas que as lanchas perderam em beleza, isso perderam e muito! Dê uma olhadinha:







Essa é a minha preferida, adoro as esportivas. Lindíssima!!!!!
























Gostou?? O que você acha?

Aqui jaz

Quando o Del Rey foi lançado eu achava maneiro. Lembra da Série Ouro? E o Ghia??? Aquele painel completo, lavadores de farol, ar, travas elétricas... Eu só lamentava pelo motor, confiável, mas não correspondia com o lançamento.

Fui a um borracheiro consertar um pneu furado e dei de cara com este:





Nesse mesmo dia eu estava no meu vizinho curtindo a Scala dele, vinho, impecável!! E ele cuida como se fosse um carro zero. Foi um choque ver esse aí, todo destruído.

Por que???

Por que o rigor aplicado aos alunos que pretendem ingressar uma faculdade pública não é aplicado aos políticos que pretendem assumir um cargo público??? Sinceramente eu gostaria de ver essas pessoas respondendo 180 questões, formuladas pelas mesmas bancas responsáveis pelo ENEM ou pelos concursos públicos federais e, para completar, as respostas virem a público. Claro. Aí sim, teríamos as verdadeiras pérolas... Não precisaremos de eleição!

No parlamento...

Bate-boca no Parlamento inglês:

Aconteceu num dos discursos de Churchill em que estava uma deputada oposicionista, Lady Astor, que pediu um aparte. Todos sabiam que Churchill não gostava que interrompessem os seus discursos. Mas concedeu apalavra à deputada. E ela disse em alto e bom tom:

- Sr. Ministro, se Vossa Excelência fosse o meu marido, eu colocava veneno em seu chá!

Churchill, lentamente, tirou os óculos, seu olhar astuto percorreu toda a platéia e, naquele silêncio em que todos aguardavam, lascou:

- Se eu fosse o seu marido, eu tomaria esse chá, com prazer!