Sobre o conteúdo do meu Moleskine

Aqui tem de tudo, é um moleskine mesmo. A diferença é que ele vai no meu bolso e no seu também, pois você pode comentar à vontade.


Obrigado pela visita e um abraço!



Lavei a alma...


Estava eu saindo do trabalho, indo da Av.Rio Branco para as Barcas. Era uma tarde fresca no Rio de Janeiro. Sabe aquele dia que tudo deu certo? Pois é, eu tinha acabado de atravessar o sinal da Rua 1º de Março, quando uma pessoa me chamou meio de longe:

- Prezado, por favor, o senhor poderia me ajudar?

Pensei comigo mesmo: prezado?? Olhei em volta de mim e não vendo outra pessoa próxima, concluí que era comigo mesmo. Vendo um homem relativamente bem vestido, me fazendo sinal de positivo, sentado na escada da estátua e me olhando fixamente, resolvi me aproximar, mas com certo receio de me arrepender. Perguntei:

- Pois não?

Aí ele completou o chamado:

- O senhor poderia me arrumar R$1,00?

Eu não acreditei que o cretino me fez caminhar até ele para isso, mas, enfim, já sentindo um gosto ruim na boca, e me controlando muito – POIS AQUILO NÃO IA ESTRAGAR O RESTO DO MEU ÓTIMO DIA, perguntei novamente:

- o Senhor está me pedindo R$1,00? É isso???

- Sabe como é né doutor, a vida tá difícil...

Aí eu peguei no breu! Eu queria encher o cara de bicudos. Ainda me controlando, e reparando que o cara não estava mal vestido e nem apresentava sinais de cansaço ou de doença, retruquei:

- Vem comigo!

Olha, eu juro, do Monumento do General Osório na Pça XV até a roleta das Barcas, eu vim (p# da vida!) pensando o quanto eu me arrebento de trabalhar debaixo do meu terno e o quanto os meus filhos merecem que eu faça isso.

E o chato veio contando os seus problemas, andando próximo, meio que atrás de mim, e para variar, cheio de gírias.

Mas eu já estava de caso pensado, assim que passei a roleta das Barcas, eu virei para o folgado que estava parado em pé me olhando do lado de fora e tornei a perguntar:

- Você me pediu R$1,00, não é isso?

- Isso doutor, R$1,00 tá bacana...

Nessa hora mágica, em que toda raiva que o sacana me fez passar se transformou numa curtíssima frase que lavou a minha alma, eu disse:

- Não tenho.


Um comentário:

  1. Tarde fresca no Rio de Janeiro?????????
    Querido, lembro do episódio e seu relato é EXATAMENTE igual ao que me contou naquele dia.
    É certo que a se tem piedade daqueles que estão em situação difícil navida, como também é certo que aqui a gente sempre está fazendo algo para ajudar...
    Mas tirar alguém do caminho para pedir.
    O indivíduo sequer levantou.
    Isso, ninguém merece!!!!!!!!
    às vezes a gente também é b.. e isso é humano. Não se culpe, viu?

    ResponderExcluir

Faça seu comentário a respeito dessa postagem.